Como a política de preços da Petrobrás não vai mudar, o GNV continua sendo uma excelente alternativa

Como a política de preços da Petrobrás não vai mudar, o GNV continua sendo uma excelente alternativa

 O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, reafirmou em seu Twitter que a troca de comando na presidência da Petrobras não vai alterar a política preços da empresa. Segundo o ministro, a estatal continua com liberdade para definir a política de precificação dos combustíveis que, atualmente, segue os preços internacionais do barril de petróleo. A declaração também foi confirmada pelo pronunciamento do presidente Temer à nação.

Para o presidente da Associação Catarinense dos Organismos de Inspeção (ACOI), Luiz Kusmin Alves, a entidade já registra no Estado um acrescimento de 20% na procura por conversão e manutenção nos carros movidos por GNV desde a paralisação nacional dos caminheiros. Segundo o presidente, atualmente a utilização do GNV é três vezes mais econômica do que o combustível líquido. O condutor paga hoje 15 centavos no km/rodado com GNV, enquanto com gasolina esse custo sobe para 45 centavos o km/rodado, além de não poluir o meio ambiente, explica Kusmin.

Na quinta-feira (31/05) a Petrobras aumentou em 2,25% o preço da gasolina em suas refinarias. Desta data ate hoje, o litro do combustível ficou 4 centavos mais caro, ao passar de R$ 1,9671 para R$ 2,0113, de acordo com a estatal. Em um mês, o combustível acumula alta de preço de 11,29%, ou seja, de 20 centavos por litro.  O preço do diesel, que recuou 30 centavos desde o dia 23 de maio, no ápice da greve dos caminhoneiros, será mantido em R$ 2,0316 por 60 dias.

Um alerta

A ACOI tem acompanhado a procura para a conversão e manutenção nos carros movidos por GNV em Santa Catarina, mas alerta que é necessário estar atento a alguns pontos importantes:

– antes da conversão é preciso pedir uma autorização prévia junto ao DETRAN, o que pode ser feito por um despachante;

– instalação deve ser feita apenas em convertedoras registradas pelo INMETRO;

– após a instalação do Kit GNV é necessário levar o veículo para inspeção em organismos acreditados pelo INMETRO.

Atualmente, segundo o DETRAN-SC, existem aproximadamente 100 mil veículos movidos a GNV no Estado. Segundo a ACOI, a frota clandestina em Santa Catarina já corresponde a 30% do efetivo total.

“O gás natural veicular é um dos combustíveis mais seguros. Entretanto, é preciso que o consumidor tenha os cuidados com a regularização e manutenção contínua”, explica  Kusmin. Ao instalar um sistema clandestino, o proprietário do veículo coloca a sua vida e a dos outros em risco. “Os casos de explosão ou incêndio geralmente ocorrem em veículos que foram acoplados ao sistema o GLP, que é o gás de cozinha, muito perigoso”, completa.

Para identificar uma oficina credenciada, a população deve exigir o registro da convertedora perante o INMETRO, estar atenta aos valores praticados. “Após a instalação, recorrendo a um organismo de inspeção com todos os documentos, o condutor ganha segurança para circular com seu veículo”, pontua o presidente da ACOI. E completa: “Atualmente a instalação de um kit pode variar de 2,5 mil a quatro mil reais. Preços com discrepância de valores também podem ser indicativos de convertedoras não registradas para executar os serviços. Lembrando que a economia na instalação pode custar vidas”, finaliza Luiz Kusmin Alves.

Atenciosamente,

Débora Ferreira

Jornalista

+ 55 (48) 3223-4647 | + 55 (48) 9 8431-5290

www.apoiocomunicacao.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *